Governo não apresentou contraproposta

0 34

A reunião realizada nesta sexta-feira (11/5) entre o secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça, e dirigentes das entidades do Ciclo de Gestão e Núcleo Financeiro confirmou que o reajuste dos servidores não é prioridade para o governo. Mendonça não apresentou nenhuma proposta sobre a tabela salarial entregue pelos sindicalistas, e informou que as negociações devem seguir até 31 de julho. O presidente da ASSECOR, Eduardo Rodrigues, destacou que as carreiras estão unidas e mobilizadas, e neste mês os movimentos pela campanha salarial serão intensificados.

O secretário de Relações do Trabalho afirmou que as demandas das diversas carreiras estão em análise e o governo tem interesse em resolvê-las. Segundo Mendonça, somente os pleitos dos servidores civis do Executivo somam 66,7 bilhões, desse valor, 9,5 bilhões seriam para o “grupo subsídio”.

O prazo limite para inclusão de recursos no orçamento destinados ao reajuste preocupa o presidente da ASSECOR e os demais líderes sindicais. Por isso, a nova data para que o governo apresente uma resposta à tabela salarial proposta foi um impasse. O presidente da ASSECOR lembrou que no ano passado, apesar da boa vontade das entidades na negociação, o governo não fez nenhum esforço para garantir o reajuste e os servidores foram prejudicados.

Os dirigentes das entidades do ciclo de gestão e do núcleo financeiro propuseram que o governo apresentasse a proposta até o dia 30 de maio. Entretanto, o secretário de Relações do Trabalho foi categórico ao afirmar que não conseguiria apresentar uma posição nesse prazo. Depois de muita negociação e do comprometimento de Mendonça em apresentar algo concreto, decidiu-se que o próximo encontro na mesa de negociação será no dia 13 de junho, às 17h.

“A nossa mobilização será decisiva, pois somente com demonstrações de insatisfação e protesto os servidores conseguirão pressionar o governo. Este é o momento de união e engajamento, caso contrário o risco de aumentar o arrocho salarial e enfraquecimento de nossa carreira é alto”, alertou o presidente da ASSECOR.

SRT11maio2

Calendário de Mobilizações

17 de maio (local e horário a confirmar).

30 de maio (local e horário a confirmar).

 

Assessoria de Comunicação da ASSECOR.