Carreiras de Estado reivindicam reajuste

255

A União das Entidades das Carreiras de Estado promoveu ato pelo reajuste salarial dessas categorias na tarde desta quinta-feira (26/7), em frente ao Ministério do Planejamento. A Carreira de Planejamento e Orçamento marcou presença na mobilização, que fechou duas faixas do Eixo Monumental. O objetivo do protesto foi cobrar do governo a negociação sobre o reajuste das categorias, que nos últimos anos participaram de diversas reuniões sobre o assunto e não houve nenhum progresso.

Foto_2

O presidente da ASSECOR, Eduardo Rodrigues, destacou que os servidores que dão suporte as áreas estratégicas do governo, que sustem o crescimento e desenvolvimento nacional, são integrantes das Carreiras de Estado, e por isso devem ser valorizados.

Durante a manifestação, os sindicalistas criticaram o Decreto nº 7.777, que permite a substituição dos servidores federais em greve por correspondentes dos Estados e municípios.  “Podemos comparar esta medida do governo ao AI-5 da Ditadura Militar”, reforçou Rodrigues. Os dirigentes das entidades informaram que grande parte dos servidores estaduais e municipais apóia o movimento das categorias federais e estão dispostos e não acumular as atribuições.

Foto1

O ato desta quinta-feira integra o calendário de mobilizações das Carreiras de Estado, e em agosto os movimentos serão intensificados. Todas as categorias convocarão assembleias na primeira de 1º a 3 de agosto para deliberar sobre o indicativo de greve e partir do dia 15 de agosto, caso o governo permaneça indiferente às reivindicações salariais.

União das Entidades Representativas das Carreiras de Estado

A Carreira de Planejamento e Orçamento, por meio da entidade representativa, ASSECOR, integra este grupo que é composto por 23 sindicatos e associações das carreiras da Advocacia e Defensoria Públicas Federais, Auditoria do Fisco e do Trabalho, Delegados e Peritos da Polícia Federal, e do Ciclo de Gestão e do Núcleo Financeiro. Aderiram o movimento recentemente os representantes das carreiras das agências reguladoras, do Itamaraty e analistas e especialistas em infraestrutura. Essas categorias estão unidas na busca pelo reajuste salarial dos servidores.