Governo prepara medidas de incentivo ao setor

161

Autor(es): Por Lucas Marchesini | De Brasília

O Ministério do Turismo anunciará “em breve” uma série de medidas para estimular o setor, tanto no lado da demanda como da oferta, disse ontem o ministro Gastão Vieira, em Brasília.

“Para resolver o problema da oferta, abrimos linha em bancos oficiais para hotéis”, disse Vieira. Ele afirmou que a pasta deve ainda lançar um financiamento dentro do Fundo Geral do Turismo (Fungetur) para que pequenos estabelecimentos possam “se ampliar e se modernizar”.

Na outra ponta, o governo também pretende “estimular o brasileiro a fazer turismo”. Para tanto, em julho será anunciado o Viaja Mais Melhor Idade. O programa vai oferecer uma linha de crédito para idosos na Caixa Econômica Federal e no Banco do Brasil.

Os recursos, que poderão ser pagos em até 48 prestações, servirão para compra de pacotes turísticos de operadoras privadas.

O ministério analisa um projeto semelhante para jovens e trabalhadores – este último em consonância com o Ministério do Trabalho, que já “está em estudo desde o ano passado”.

O setor do turismo teve crescimento de 13,1% no faturamento em 2012, divulgou ontem o governo federal. Para 2013, a expectativa é de desaceleração nessa expansão, para 7,5%. Os dados são da 9ª Pesquisa Anual de Conjuntura Econômica do Turismo, feita pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). A entidade consultou as 80 maiores empresas do setor, que respondem por 22% do PIB do turismo.

Outro indicador da desaceleração é a evolução do quadro de funcionários, que avançou 4,1% em 2012. Para 2013, a expectativa de alta é de 3%.

Segundo o coordenador do Núcleo de Turismo da FGV, Luiz Gustavo Barbosa, o setor é geralmente conservador nas estimativas, por isso a expectativa de crescimento menor este ano, apesar de eventos como a Copa das Confederações.

O levantamento apontou também uma inflação de 9,6% nos preços do setor, acima da inflação oficial, de 5,84%, apurada pelo Índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA). Os custos subiram 12% ano passado.

Para 2013, a expectativa é de alta de 3,8% nos preços praticados pelo setor. Já a expectativa de inflação oficial é 5,2%, de acordo com a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Os custos devem aumentar 4,7 no período%.

De acordo com o ministro Gastão Vieira, “o levantamento indica para este ano elevação esperada de custos abaixo da expectativa de aumento de faturamento, que é de 7,5%, o que indica espaço para novos investimentos”.

A pesquisa aponta que todas as companhias pretendem investir em 2013, sendo que essa aplicação corresponderá, em média, a 13,3% do faturamento. Isso significa algo em torno de R$ 7 bilhões, avaliou o coordenador da pesquisa na FGV.

O economista apontou algumas das razões para as expectativas em relação à expansão de negócios. Entre elas estão a retomada do crescimento da economia brasileira e o aumento de demanda por viagens da nova classe média.