Poder executivo envia ao Congresso projetos de lei do PPA 2016-2019 e do Orçamento 2016 sem concluir negociação salarial

0 50

Na última sexta-feira (28) o Secretário de Relações do Trabalho, Sérgio Mendonça, enviou ofício à Assecor reafirmando a proposta inicial de reajuste salarial para os próximos quatro anos (5,5% em 2016, 5,0% em 2017, 4,75% em 2018 e 4,5% em 2019). No ofício também são informados os reajustes do auxílio-alimentação (R$ 458,00), da assistência à saúde (o valor per capita médio passa de R$ 117,78 para R$ 145,00) e da assistência pré-escolar (o valor per capita médio passa de R$ 73,07 para R$ 321,00).

As carreiras que não aceitarem assinar Termo de Acordo nos termos propostos pelo governo ficarão com reajuste zero em 2016. Após passarem todo o primeiro mandato da presidente Dilma assistindo seus salários serem corroídos pela inflação, os servidores podem ficar mais quatro anos nesta condição. Além de desconsiderar as perdas dos últimos anos, a proposta não oferece garantias de recuperação automática caso a inflação futura fique acima dos índices propostos pelo governo.

Novas reuniões entre a SRT e as entidades representativas dos servidores acontecerão nas próximas semanas. Caso a proposta não seja melhorada a tendência é que haja greve geral dos servidores federais. Próxima assembleia da Carreira de Planejamento e Orçamento acontecerá no dia 10/9, às 14h, no auditório da SOF.