Colaboração com EUA é importante para promover ganho de produtividade na economia brasileira, diz Barbosa

199

Em encontro na manhã desta quarta-feira (29) com representantes do Conselho Empresarial Brasil-Estados Unidos, o ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP), Nelson Barbosa, avaliou que a visita da presidente Dilma Rousseff ao país, marcada para este ano, abre uma fase de ampliação do diálogo empresarial com a possibilidade de identificar novas oportunidades de negócios bilaterais entre os setores privados.

Para o ministro, esta colaboração será importante para o desenvolvimento da economia brasileira com ganho de produtividade por meio do uso de tecnologias. “Neste momento, é vital para a economia brasileira aumentar a sua produtividade. Há diversas tecnologias disponíveis no mundo que ainda não estão presentes aqui. Por isso, temos a oportunidade de, em curto prazo, obter um grande ganho produtivo com o uso destas tecnologias”, analisou. 

O ministro citou setores em que empresas americanas podem atuar no Brasil como, por exemplo, em serviços tecnológicos de administração hospitalar, de gestão educacional e de acesso a crédito. Ele também mencionou a experiência americana com tecnologias de uso racional de energia e água, especialmente na Califórnia.

Barbosa destacou ainda o Programa Nacional de Banda Larga como sendo prioritário para o desenvolvimento do país. “O Programa Nacional de Banda Larga deve ser novo o Luz Para Todos. Temos que universalizar o acesso à internet da mesma forma como fizemos com a energia elétrica”, comparou.

O ministro citou setores em que empresas americanas podem atuar no Brasil como, por exemplo, em serviços tecnológicos de administração hospitalar, de gestão educacional e de acesso a crédito. Ele também mencionou a experiência americana com tecnologias de uso racional de energia e água, especialmente na Califórnia.

Barbosa destacou ainda o Programa Nacional de Banda Larga como sendo prioritário para o desenvolvimento do país. “O Programa Nacional de Banda Larga deve ser novo o Luz Para Todos. Temos que universalizar o acesso à internet da mesma forma como fizemos com a energia elétrica”, comparou.