Orçamento da Saúde vai subir em 2015

123

Paulo Macedo reagia assim às acusações do deputado do Bloco de Esquerda João Semedo de que tese de que da discriminação positiva do Serviço Nacional de Saúde caiu por terra.

O Ministro não concretizou qual será o aumento da dotação orçamental. Nos relatórios sobre a 11 avaliação ao programa de ajustamento, tanto a Comissão Europeia como o FMI deixam claro que o Orçamento do Estado terá de financiar os hospitais para que estes possam cumprir a estratégia de pagamento de dívidas em atraso.

Hoje será conhecido o Documento de Estratégia Orçamental, que dará a conhecer os cortes na despesa para 2015. O Ministério da Saúde terá de contribuir com uma redução na despesa na ordem dos 300 milhões de euros, sabe o Económico. Este corte deverá ser compensado através do aumento das receitas, nomeadamente de uma taxa sobre as vendas da industria farmacêutica.

Paulo Macedo “mata” polémica sobre taxa do açúcar e do sal

O Ministro da Saúde acrescentou, no Parlamento, que a taxa sobre o açúcar e o sal não será apresentada no Documento de Estratégia Orçamental, que hoje será conhecido. Paulo Macedo garantiu que uma taxa sobre estes produtos não avançará sem um acordo alcançado em Conselho de Ministros, muito menos antes de serrem feitos estudos sobre o assunto.

O Ministro da Saúde vem assim pôr termo à polémica que tem causado mal estar com o parceiro da coligação. Tal como o Económico avançou, os ministros do CDS tiveram ordem para desvalorizar o assunto.