Governo federal investe R$ 143 bilhões em 303 empreendimentos de mobilidade urbana

110

Passados nove meses da apresentação dos cinco pactos em favor do Brasil – mobilidade urbana, educação, saúde, responsabilidade fiscal e reforma política -, foram dados passos importantes para oferecer serviços públicos de qualidade à população, afirmou a presidenta Dilma Rousseff durante a 42ª Reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), realizada nesta quarta-feira (16/4) em Brasília.

“Naquele momento, fizemos um pacto pela melhoria dos serviços públicos, garantia da estabilidade e reforma política”, disse a presidenta, acrescentando que não há registro de que se tenha investido tanto em transporte público em um período tão curto de tempo. Dilma aproveitou para elogiar a relação que os governos federal, estaduais e municipais estabeleceram para desenvolver os projetos de mobilidade urbana.

“É inteiramente republicano. Eu não olho quem é o prefeito, quem é o governador. Eu faço para a população, eu não faço metrô para o governador ou para o prefeito, nem para mim mesma. Nós todos, os três níveis, fazemos metrô para a população. E o Brasil andou muito nesse quesito. Os prefeitos e os governadores também têm tido, com o governo federal, uma relação extremamente cooperativa e republicana.”

Ouça a íntegra do discurso da presidenta Dilma Rousseff.

Durante a reunião do CDES, a ministra Miriam Belchior, do Planejamento, e o ministro Gilberto Occhi, das Cidades, detalharam os R$ 143 bilhões que estão sendo investidos em mobilidade urbana em 303 empreendimentos espalhados em 109 cidades brasileiras.

“Essa carteira que temos hoje, representa quase 3.900 km de via pra transporte coletivo urbano. Transporte em trilho, se destacam os VLTs, com 270 e 250 quilômetros de metrô. São mais de 2000 quilômetros de corredores de ônibus e mais de 1000 quilômetros de BRTs”, afirmou Miriam.

A ministra informou ainda que a segunda etapa de seleção de projetos de mobilidade urbana começa na próxima semana. O investimento nesta próxima etapa será destinado a municípios com população entre 400 e 700 mil habitantes e demais capitais. “Serão mais 26 cidades de 16 estados brasileiros a receber investimentos para mobilidade urbana”, afirmou.

O ministro Gilberto Occhi lembrou que, além dos investimentos em mobilidade urbana, o governo federal fez um esforço de desoneração dos impostos que impactam as tarifas do transporte coletivo.

“Com relação ao pacto para melhoria do transporte coletivo, os 3 eixos são menor tarifa, maior transparência e mais qualidade para população. Do pacto para menor tarifa, o governo federal adotou diversas decisões e ações que possibilitaram manutenção, redução das tarifas do transporte, e destaco a desoneração que impacta na redução de 7,23% da tarifa de ônibus e 13,35% de trens”, disse.