Dilma: Argentina tem condição de lidar sozinha com a crise

117

A presidente Dilma Rousseff disse nesta terça-feira, durante entrevista em Cuba, que a Argentina tem condição de lidar sozinha com a crise econômica que enfrenta, o que teria sido afirmado pela presidente Cristina Kirchner a ela em conversa recente. Dilma ainda afirmou que não ofereceu ajuda ao país vizinho pois não foi solicitada. A presidente participa hoje da abertura da 2ª Cúpula da Comunidade de Estados Latinoamericanos e Caribenhos (Celac).

Além disso, Dilma acredita que o país terá, em uma sobra de safra, um caminho para a entrada de dólares no país. Ela afirmou que, reforçando o que havia dito em Davos, na Suíça, durante o Fórum Econômico Mundial, que assim como o Brasil, A Argentina tem margem de manobra para lidar com a crise usando essa sobra de safra, que vai ser comercializada agora.

Presidente diz que é cedo para falar em meta fiscal

Sobre o superávit primário (a economia feita pelo país para arcar com juros da dívida pública) Dilma disse que ainda é cedo para se falar em quanto será a meta fiscal deste ano e o quanto será contingenciado no Orçamento. A presidente afirmou, em Cuba, que o corte será feito apenas em fevereiro, e que até lá, qualquer especulação está desautorizada.

– O Brasil não pode continuar fazendo especulações indevidas. Ninguém do governo falou quanto vai ser cortado nem qual o superávit primário. Lamento que tenha sido anunciado números, valores e compromissos. Temos um prazo, e é fevereiro. Está desautorizada qualquer manchete, informação, nesse sentido – afirmou a presidente.

Nesta terça-feira, a Casa Civil divulgou nota no mesmo tom, afirmando que “não existe definição ou decisão a este respeito e quaisquer manifestações estão desautorizadas” e que “em momento oportuno, será divulgada a meta fiscal para 2014 que será a necessária para manter a solidez fiscal e a estabilidade da relação dívida/PIB, compromisso primeiro deste governo”.