Contabilidade preocupante

176

Autor(es): Denise Rothenburg

As contas feitas pelo PMDB indicam calmaria em relação ao PT apenas em dois estados, Pará e Amazonas, e no Distrito Federal. O restante do Brasil é problema. Diante dessa constatação, a tendência de o Rio de Janeiro ganhar força numa convenção cresce. Ou seja, a sensação de fim de ano e de “tudo está em calma” é apenas aparente. Há quem diga que esse recuo e silêncio é sinal de um tsunami político logo ali na frente. Convêm ficar de olho.

» » »

No caso do Rio de Janeiro, embora o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) esteja animado com a candidatura, as contas indicam que ele e o vice-governador Luiz Fernando Pezão devem se unir em um único palanque. Se nadarem em raias separadas, o risco de afogamento é alto. Não por acaso, já existem peemedebistas dispostos a sugerir um terceiro nome, para que nenhum dos dois se sinta excluído. A chance de isso dar certo hoje é zero.

O nome que falta
O secretário da Casa Civil de São Paulo, Edson Aparecido, virá a Brasília em busca de um criminalista que possa representar o partido contra o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. A ordem agora entre os tucanos é descobrir quem incluiu as referências ao partido na tradução do documento em inglês sobre práticas irregulares na Siemens do Brasil.

Bom partido
O DEM decidiu que ACM Neto não largará a prefeitura para ser candidato a governador. Logo, estão abertas a conversas com o PMDB e o PSDB. Assim, o jovem prefeito virou o rapaz que todo o político de oposição ao governo de Jaques Wagner quer ver casado com a sua campanha.

“O PT não deveria ter permitido que Genoino pedisse aposentadoria por invalidez. O PT é a Previdência do Genoino. Deve a ele por toda a vida”
Do ex-deputado Paulo Delgado, agraciado ontem com medalha de prata da Constituinte de 88

Berço da oposição
Quem tiver o privilégio de acompanhar um dos tradicionais almoços da Lide Empresarial Brasília verá que a imagem do Poder Executivo Federal está péssima por ali. Não houve um empresário a elogiar a gestão econômica do governo Dilma durante o evento com o presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira. O governador Agnelo Queiroz não ouviu as críticas porque problemas de agenda impediram que ele chegasse em tempo de acompanhar a palestra.

Eles também brincam/ Dia desses, no Planalto, em meio à discussão sobre deixar de lado a votação do projeto relativo aos vencimentos dos agentes de saúde, a líder do PCdoB, Manuela D’Ávila, disse que era preciso ter “culhão” para tirar esse projeto de pauta. Foi imediatamente corrigida pela presidente Dilma: “Minha querida, que é isso?!! É preciso ter ovários!”.

Lotados/ Hoje, último dia para apresentação de emendas ao orçamento do ano eleitoral, hotéis de Brasília estão cheios. São os prefeitos, ávidos por uma emenda, capaz de ser liberada no rol do Orçamento Impositivo.

Da série hoteleira/ Desde que José Dirceu foi apresentado como futuro gerente de um hotel, as piadas não param. A mais nova é a que Delúbio Soares, o ex-tesoureiro do PT, vai trabalhar na lavanderia. Para bons entendedores…

Musas/ A sessão que concedeu medalhas as ex-constituintes soou a muitos como aquela reunião de 25 anos de formatura. A deputada Rita Camata (foto), a musa da Constituinte, hoje no PSDB, é assediada pelo presidente do partido, Aécio Neves, para concorrer a um mandato de senadora pelo Espírito Santo.