Mantega: bancos financiarão até 70% das concessões de rodovias

104

Autor(es): Roberta Scrivano e Ramona Ordoñez

São Paulo e Rio- O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou ontem ter chegado a um acordo com oito dos maiores bancos bancos privados que atuam no país (Bradesco, Itaú, HSBC, Santander, Bank of America, BTG Pactuai, Safra e JPMorgan), para que essas instituições financiem as concessões de rodovias, que envolverão investimentos de R$ 50 bilhões. Ficou acertado que esses bancos poderão financiar até 70% do total dos investimentos, em operações que terão prazo de 25 anos, mais cinco anos de carência, e taxa em tomo de 7% ao ano (TJLP mais 2%).

— É fundamental, para viabilizar essas concessões, primeiro, que elas sejam bastantes rentáveis para atrair investidores. Em segundo lugar, que haja um modelo de financiamento para viabilizar os investimentos que serão feitos, que não são poucos — disse Mantega, após reunião com banqueiros em São Paulo.

Os dois primeiros leilões do pacote de concessões rodoviárias ocorrerão na próxima quarta-feira. Segundo Mantega, a carência de cinco anos para início do pagamento dos financiamentos é um fator que aumenta “as condições favoráveis para o investimento”, já que nesse período “dá para fazer toda a duplicação (das áreas concedidas) e pedágios” O funding dos empréstimos ficará a cargo do BNDES, que deverá cobrar um spread “menor que 0,5%” dos bancos, estimou o ministro.

— É uma notícia boa porque não é usual que banco privado participe de projeto de tão longo prazo — disse Mantega.

O ministro informou ainda que os bancos poderão até fazer parcerias para não assumirem sozinhos prazos tão longos de financiamento. Por exemplo, uma instituição pode ser a responsável pelo financiamento dos primeiros dez anos do investimento, outra do segundo período de dez anos, e um banco publico ficar responsável pelos recursos dos últimos cinco anos. — Os bancos pediram a possibilidade de sair antes do final, e aí o banco público cobre I (o período restante).

BNDES vê interesse de bancos

No Rio, o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, afirmou ontem estar muito otimista com a possibilidade de bancos privados virem a financiar os projetos de concessões das rodovias.

— A expectativa é positiva, primeiro com o espaço para o lançamento de debêntures e, com isso, o mercado de capitais I poderá ter uma fatia importante ; no financiamento dos projetos. Em segundo lugar, vejo uma posição favorável em os bancos privados participarem de consórcios para o financiamento. Se os projetos forem bem organizados, teremos perfeitas condições de financiá-los com participação importante do setor privado — disse Coutinho.

Ele admitiu que a participação de consórcios de bancos privados no financiamento das concessões das rodovias vai aliviar as pressões no BNDES. Segundo Coutinho, os bancos poderão entrar com financiamento de até 70% do valor dos projetos de concessão:

— A fatia do financiamento das concessões a ficar com os bancos privados depende do apetite ao risco. Podem ficar com fatia de 40% a 70%.