Caravana da Cidadania debate Saúde Pública em Planaltina de Goiás

0 23

Fonte: IFC

Entre os dias 25 e 26 de Junho, a Caravana da Cidadania passou por Planaltina de Goiás. Cerca de 100 estudantes, usuários do sistema Único de Saúde e o IFC debateram a importância do SUS e suas dificuldades. Entre os expositores estavam, Jovita Rosa , presidente do Instituto de Fiscalização e Controle – IFC, Nayara Ferreira, presidente do Conselho Municipal de Saúde, Geraldo Humberto, Secretário Municipal, Dr Jairo Bisol , Promotor de Justiça do Distrito Federal e Presidente da Associação Nacional do Ministério Público de Defesa da Saúde ( AMPASA) e o Eduardo Duailibe Murici, Ouvidor Geral do Tribunal de Contas da União – (TCU).

Jovita Rosa, presidente do Instituto de Fiscalização e Controle falou da falta de visão de muitos gestores ao investir em políticas públicas. “Ao investir na UPA o Município está investindo em doença, enquanto isso a atenção básica é esquecida” ressaltou Jovita. O secretário de saúde Geraldo Humberto apresentou o trabalho já realizado em sua gestão. E ressaltou a falta de investimento do Governo Estadual e a dificuldade de contratar médicos para o município goiano.

Ao final, os participantes fizeram perguntas aos membros da mesa. Mais de 60 perguntas foram encaminhadas aos expositores que prontamente responderam. As perguntas sobre a obra da UPA que está parada, falta de medicamente, demanda reprimida de exames e consultas e a falta de médicos no Município, foram respondidas pelo Secretário de Saúde e o Promotor de Justiça.

No segundo dia de caravana, a partir de 08h, os participantes foram divididos em cinco equipes que visitaram 14 Postos de Saúde da Família (PSF).

Os auditores cívicos constataram 94 pontos que precisam ser melhorados pelo Poder Executivo local. O relatório final será entregue na próxima segunda feira, 01/06 ao Prefeito de Planaltina de Goiás, ao Secretário de Saúde, ao Conselho de Saúde, a Câmara de Vereadores e a Promotoria de Justiça local. O IFC encaminhará também ao Ministério da Saúde, a Controladoria Geral da União (CGU) e ao Tribunal de Contas da União (TCU).

O Coordenador de Projetos do IFC, Diego Ramalho, destacou “É inadmissível constatar a quantidade de obras com recurso Federal que estão paradas no Município”. Diego Ramalho agradeceu aos mobilizadores locais e a participação de todas as entidades que compõem ou ajudam o Instituto de Fiscalização e Controle IFC.