Dirigentes acertam os últimos detalhes para mobilização

195

Na manhã desta quarta-feira (25/7), o presidente da ASSECOR, Eduardo Rodrigues, e o vice, Antonio M. R. Magalhães, receberam, na sede da Associação, os dirigentes das categorias que integram o grupo União das Entidades das Carreiras de Estado. Durante a reunião, os sindicalistas acertaram os últimos detalhes para a grande mobilização que será promovida nesta quinta-feira (26/7), às 15h, em frente ao Ministério do Planejamento (bloco K), e apresentaram as últimas informações sobre as operações e paralisações das carreiras.

A maioria das 23 entidades que integram o grupo já está paralisada ou promove operação padrão. Rodrigues destacou que a Carreira de Planejamento e Orçamento está unida e em assembleia marcada para o dia 2 de agosto deverá deliberar sobre o tema. “O mais importante é manter a unidade do grupo e o comprometimento com o calendário de atos que foi estipulado”, disse o presidente da ASSECOR.

Reuniao_Uniao_Entidades_25_de_julho

Os líderes sindicais informaram que fontes do governo já demonstram a preocupação com uma possível paralisação conjunta de todas as Carreiras de Estado, e que esse movimento tem ganhado força.

Deliberações

Nesta manhã, todos foram surpreendidos com o decreto que permite a substituição de servidores federais em greve por outros equivalentes estaduais.  As entidades tomarão as medidas judiciais cabíveis e publicarão um documento repudiando a iniciativa e conclamando os servidores estaduais a não aceitar essas atribuições.

O grupo ainda decidiu que todas as categorias publicarão os editais das assembleias com o indicativo de paralisação no Diário Oficial e encaminharão cópia do documento para os órgãos. Nessas assembleias os servidores decidirão sobre o calendário conjunto da União das Entidades:

– Paralisação das atividades de todas as carreiras nos dias 7 e 8 de agosto;

– Realização de grande ato conjunto no dia 8 de agosto em frente ao Palácio do Planalto;

– Caso o governo não inicie de fato as negociações, paralisação por tempo indeterminado a partir do dia 13 de agosto.

Dia 31 de julho é o prazo final para o governo apresentar a contraproposta, por isso, os representantes dos servidores se reunirão novamente, no dia 1º de agosto, para avaliar o cenário e decidir sobre a campanha de mídia.