Debate sobre horário flexível

167

O presidente da ASSECOR, Eduardo Rodrigues da Silva, e o vice-presidente, Antonio M. R. Magalhães, participaram de reunião na UNACON, nesta quinta-feira (6/10). O objetivo do encontro foi debater, em conjunto com as demais entidades do Ciclo de Gestão e Núcleo Financeiro, a questão do horário flexível.

Edward Lúcio Vieira Borba, AFC lotado na CGU, apresentou a proposta resultante de um debate interno na CGU, mas que ainda não foi referendada pela categoria, representada pela Unacon. Por esta proposta, as 40 horas de trabalho seriam flexibilizadas, sendo 35 horas no ambiente institucional e cinco fora das unidades da CGU, com a demanda por esse tipo de trabalho e o controle de resultados sob responsabilidade das chefias imediatas. Além disso, essas sete horas diárias poderiam ser realizadas das 7h às 20h, e o projeto ainda prevê banco de horas.

“Esse é um debate extremamente pertinente, mas precisamos analisar a questão com cuidado. Não podemos correr o risco de transmitir a ideia que quereremos trabalhar menos e ganhar mais. É necessário flexibilizar a jornada de trabalho para conciliar esta dimensão da vida com as demais atividades diárias do mundo moderno, garantindo a excelência na prestação de serviços para o Governo e sociedade conciliada com a qualidade de vida dos servidores, e os avanços tecnológicos já permitem isso. A ASSECOR levará esse assunto para o debate com nossas bases”, afirmou o presidente da ASSECOR. A questão do horário flexível será a pauta de uma assembléia realizada ainda este mês pela ASSECOR.

Os demais representantes das entidades do Ciclo de Gestão e Núcleo Financeiro destacaram a relevância do debate e chegaram ao consenso de que o assunto ainda deve ser debatido com profundidade junto aos associados de cada entidade.

 

Camila Jungles, assessora de comunicação da ASSECOR.