Com queda de receita, Câmara aprova orçamento menor para 2017

0 20

Os vereadores de São José dos Campos aprovaram, na tarde desta quinta-feira (1º), o orçamento de 2017 da prefeitura e fundações – o projeto estima a receita para o próximo ano em 2,64 bilhões, 4,28% a menos do que a projeção deste ano.

Do toral, o montante é de R$ 2,444 bilhões para a administração direta e de R$ 318,4 milhões para administração indireta e autarquias. Para 2016, o valor total foi de R$ 2,762 bilhões.

A retração foi projetada com base na queda de arrecadação por causa da crise econômica. Segundo a administração, de janeiro a outubro deste ano, a queda nas receitas já é de R$ 85 milhões.

Disputa
Das 37 emendas apresentadas pelos parlamentares, apenas uma foi mantida. A maior parte delas havia sido colocada por vereadores ligados ao atual prefeito, Carlinhos Almeida (PT), e previam investimentos em áreas como saúde, esportes, educação e assistência social.

Contudo, a bancada que apoia o PSDB votou contra as emendas e garantiu que o projeto fosse aprovado quase na íntegra. A medida garante que o prefeito eleito, Felício Ramuth, receba um orçamento mais ‘livre’. 

A única emenda aprovada é a que destina R$ 17,4 milhões para entidades sociais. Representantes desse setor acompanharam a sessão e pressionaram os paralamentares a destinarem os recursos. 

A emenda ainda pode ser vetada por Carlinhos. Após a votação desta quinta-feira (1º), o projeto será encaminhado para o prefeito, que tem 15 dias para sancionar. Caso ele derrube a emenda, esse veto é enviado para análise da Câmara novamente.

Manobra
O líder do PSDB na Câmara, Juvenil Silvério, negou que a postura dos vereadores do PSDB e aliados  tenha sido uma manobra para beneficiar o prefeito eleito, Felício Ramuth.

“É de praxe não deixar o orçamento engessado para o próximo prefeito, para que ele possa tomar pé da situação”, afirmou.