Contas públicas têm deficit de R$ 25,5 bilhões, pior resultado da história

0 29

Os números das contas públicas, divulgados nesta sexta-feira pelo Banco Central, são os piores da história. O setor público registrou um deficit primário de R$ 25,5 bilhões em setembro, o pior resultado para todos os meses desde que a autoridade monetária iniciou a série histórica, com mudança na metodologia, em 2001. O governo central, os governos regionais e as empresas estatais tiveram deficits primários de R$ 21 bilhões, R$ 3,1 bilhões e R$ 1,4 bilhões respectivamente.

No ano, o resultado primário acumula deficit de R$ 15,3 bilhões, também o pior resultado de janeiro a setembro da história. No mesmo período do ano passado, houve superavit de R$ 45 bilhões. No acumulado em 12 meses, o superavit primário – a economia para pagar os juros da dívida – atingiu R$ 31,1 bilhões, 0,61% do Produto Interno Bruto, o pior resultado desde outubro de 2009. No ano passado, foi de R$ 45,5 bilhões, ou 0,94% do PIB. 

O Banco Central divulgou que as despesas com juros nominais alcançaram R$ 43,9 bilhões em setembro ante R$ 17 bilhões em agosto. O número também é o mais alto da história. No acumulado do ano, os juros nominais atingiram R$ 209,1 bilhões ante R$ 177,2 bilhões no mesmo período de 2013. Em 12 meses, totalizaram R$ 280,8 bilhões, o equivalente a 5,53% do PIB, pior desde abril de 2012, quando chegou a 5,54%.

O resultado nominal, que inclui o primário e os juros nominais, foi deficitário em R$ 69,4 bilhões em setembro. No acumulado do ano, o déficit nominal alcançou R$ 224,4 bilhões e, em 12 meses, R$ 249,7 bilhões, 4,92% do PIB.