Exportações brasileiras despencam 10,2% em setembro

333

As exportações brasileiras somaram US$ 19,6 bilhões, volume 10,2% menor do que os US$ 20,8 bilhões em setembro de 2013. As importações totalizaram US$ 20,5 bilhões, registrando um aumento de 4% em relação ao mesmo período do ano passado. Com isso, a balança comercial brasileira registrou deficit de US$ 939 milhões no mês passado. É primeiro saldo negativo para o mês de setembro desde 2000, mas o maior desde 1998, quando a diferença entre as exportações e exportações do país ficaram negativas em US$ 1,2 bilhão.

De acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic) divulgados nesta quarta-feira (1/10), no acumulado do ano, o saldo comercial ficou no vermelho em US$ 690 milhões. Até então o último deficit de janeiro a setembro em um ano havia ocorrido em 1999 e foi de US$ 824 milhões. De janeiro a setembro, os embarques de produtos nacionais recuaram 1,7% em relação ao mesmo período de 2013 e somaram US$ 173,6 bilhões. Já os desembarques encolheram 2,2%, para US$ 174,3 bilhões.

Com esse resultado, a participação dos produtos básicos do total das exportações brasileiras nos primeiros nove meses do ano saltou de 48,2%, em 2013, para 50,1%. Já os produtos industrializados tiveram sua fatia reduzida de 49,5% para 47,2%. Os 2,8% foram de operações especiais, como plataformas de petróleo. Por outro lado, as importações de bens da capital encolheram 5,7% no ano na comparação com janeiro a setembro de 2013, refletindo a desaceleração da economia brasileira, totalizando US$ 35,9 bilhões.

As commodities nacionais que tiveram as maiores quedas nos embarques em setembro foram milho em grão (-38,9%, para US$ 495 milhões), soja em grão (-30,5%, para 1,3 bilhão) e minério de ferro (-23,8%, para US$ 2,2 bilhões). Os automóveis continuaram entre os manufaturados com as maiores quedas no mês passado. As exportações do produto encolheram 52,6%, para US$ 270 milhões. Em segundo lugar, ficaram os óleos combustíveis, com queda de 36,2%, para US$ 335 milhões.

China encolhe

A China continuou sendo o principal destino das exportações brasileiras, mas vem comprando cada vez menos do Brasil. Os embarques de produtos nacionais para o país asiático encolheram 3,3% de janeiro a setembro deste ano em relação ao mesmo período de 2013, passando de US$ 35,9 bilhões, para US$ 34,6 bilhões. O volume exportado para a Argentina continuou em queda e, no acumulado do ano, despencou 25,7%, na mesma base de comparação, totalizando US$ 11 bilhões. Em 2013, foram enviados para o país vizinho US$ 14,9 bilhões. Em contrapartida, as compras dos Estados Unidos cresceram 9,3% no ano, para US$ 20,2 bilhões.