Obras da Copa atrasam e ficam mais caras

135

Na semana em que a presidente Dilma Rousseff anunciou investimentos de R$ 3,2 bilhões para obras de construção do metrô na capital paranaense e outros R$ 2,1bilhões para outras obras em transporte, Curitiba tenta reorganizar seu calendário de obras para a Copa do Mundo. Segundo relatório do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PR), as obras estão atrasadas e já mostram um aumento dos investimentos públicos de R$ 400,7 milhões para R$ 433,9 milhões. O relatório aponta atrasos em relação aos cronogramas físicofinanceiros (a execução das etapas dos serviços e seus pagamentos). Três obras estão com o cronograma em dia: Extensão da Linha Verde Sul, Requalificação do Corredor Marechal Floriano Peixoto (municipais) e Sistema Integndo. Monitoramento Metropolitano – SIMM (estadual). Uma obra ainda não tem projeto (acessos à Rodoferroviá-ria) e duas mantêm pendências em desapropriações (Vias de Integração Radial Metropolitana e Corredor Aeroporto-Rodofer-roviária). Segundo a Secretaria Municipal de Obras, os atrasos já vinham ocorrendo desde a gestão passada. “A atual gestão herdou as obras já com atrasos e vem procurando colocá-las em dia. Lem; bramos que algumas obras estavam paralisadas e tiveram que ser relicitadas, caso da Linha Verde SuL Outras tiveram projetos refeitos e readequação de orçamentos. Hoje, no entanto, todas as obras estão em andamento e a prefeitura tem o compromisso de entregá-las antes da Copa do Mundo”, informou a prefeitura, por meio de sua asse ssoria. Os casos mais urgentes apontados pelos técnicos do TCE-PR dizem respeito ao acesso à Rodoferroviária e alguns pontos de integrações. “Parte de duas obras do pacote de mobilidade urbana para a Copa de 2014 na Região Metropolitana de Curitiba ainda não foi iniciada. Uma é de responsabilidade da Prefeitura da Capital (acessos à Rodoferroviária, que sequer tem projeto concluído) e a outra do Governo do Paraná (alça da Avenida Salgado Filho, que integra as Vias de integração Radial Metropolitana)”, indica o relatório. Caso o ritmo atual das obras seja mantido, informa o TCE, a conclusão dessas obras pode não ocorrer até junho de 2014 e o atraso poderá acarretar a suspensão dos repasses de recursos federais do PAC da Copa, segundo o Tribunal de Contas da União (TCU). Metrô» No anuncio feito pela presidente Dilma, do total de R$ 3,2 bilhões para o metrô, R$ 1,8 bilhão virão do Orçamento da União a fundo perdido, além de uma linha de financiamento de R$ 1,4 bilhão, com juros baixos, que poderão ser pagos em 30 anos.