Nunca é tarde

163

A criação de novos partidos políticos, com o recente troca-troca de legendas de parte dos deputados com mandato, está provocando reações no Congresso. Por causa da sangria nos partidos já existentes, que estão perdendo parlamentares e, com isso, recursos do fundo partidário e tempo de televisão, deve ser desengavetado o projeto que veda a concessão de tempo da propaganda eleitoral e recursos (PLC nº 14/2003) para as novas legendas, já aprovado pela Câmara e parado no Senado.

 

Inicialmente, o projeto teve sua votação impedida por liminar do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Posteriormente, a Corte derrubou a liminar. A matéria, porém, dificilmente voltará à pauta antes de 5 de outubro, prazo final para a criação e a mudança de partidos com vistas às eleições do próximo ano. Ou seja, quem se transferir para os novos partidos até lá carrega junto a grana do fundo e o tempo de televisão.

 

Até agora, o partido que mais se beneficiou com a situação foi o Solidariedade, fundado pelo deputado Paulinho da Força (ex-PDT), que espera atrair cerca de 30 deputados federais até o fim da semana. O Partido Republicano da Ordem Social (Pros), governista, pode ganhar musculatura com a adesão do governador Cid Gomes, do Ceará, que deixou o PSB com o ex-ministro Ciro Gomes. A legenda espera filiar 10 deputados federais. A grande incógnita é a Rede Sustentabilidade, cujo foco não é o parlamento, mas que também pode atrair de seis a 10 deputados, se conseguir o registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Sonhador

O senador Pedro Simon (PMDB-RS), ao criticar a omissão do parlamento em relação às reformas necessárias ao país, como a tributária, voltou a defender a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte de caráter exclusivo. “Os eleitos trabalhariam por um mandato apenas, e não se tornariam políticos profissionais. Fariam o debate, votariam as reformas e voltariam para casa”,
defende. Só falta combinar
com os colegas.

Forasteiro

A insistência do PT em forçar a entrada do empresário Josué Alencar (foto), filho do falecido vice-presidente José Alencar, no PMDB de Minas Gerais cria desconforto na legenda. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva quer fazer de Josué o seu “poste” em Minas, como candidato ao Senado ou, no mínimo, a vice do candidato do PT, o ministro do Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel. Vice-presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (FIESP), o empresário mora e trabalha na capital paulista. É considerado um forasteiro na política mineira.

Minirreforma

O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), discute hoje com líderes partidários a votação do projeto de lei que trata da minirreforma eleitoral. A bancada do PT já tomou posição contra a reforma, o PSDB pode ir pelo mesmo caminho. A proposta foi aprovada pelo Senado.

Homenagem

A BR-423, que corta o Agreste de Pernambuco, se chamará rodovia Mestre Dominguinhos. A estrada federal sai de São Caetano, passa por Cachoeirinha, Lajedo, Garanhuns, Delmiro Gouveia (Alagoas) e termina em Paulo Afonso, na Bahia. O projeto é do senador Armando Monteiro Filho (PTB-PE).

Sonho meu

Meyrielle Abrantes (foto), ex-namorada do senador pernambucano Jarbas Vasconcelos (PMDB), posará nua para a revista Playboy. Em entrevista concedida à repórter do Diario de Pernambuco Cecilia Ramos, a ex-miss Pernambuco diz que, agora, não há nada que a impeça de realizar um sonho antigo. “Não posei antes porque eu namorava. Agora eu sou ex, sou solteira.”

Casa própria

Ninguém tasca. O governo resolveu se antecipar ao projeto de lei do Senado (PLS 167/2011) que acaba com o teto de financiamento para casa própria, que estava fixado em R$ 500 mil. Ontem, anunciou que o financiamento será até
R$ 750 mil

Impositivo

A Comissão de Constituição e Justiça do Senado deve votar nesta semana a PEC nº 22/2000, que torna obrigatória a execução das emendas orçamentárias apresentadas por parlamentares, a PEC do Orçamento Impositivo. O relator é o senador Eduardo Braga (PMDB-AM), líder do governo na Casa, que deve destinar metade do valor das emendas à área da saúde.
Palestinos/ Chega hoje ao Brasil o comissário-geral da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA), Filippo Grandil, que se reúne com o vice-presidente, Michel Temer, com o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, e com a ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário.

Saúde

A Frente Parlamentar da Saúde discute hoje alternativas de financiamento da saúde. O governo tenta reduzir o volume de recursos constantes do Projeto de Lei de Iniciativa Popular 321/13, apresentado pelo Movimento “Saúde+10”. A frente defende investimento mínimo do governo federal na saúde pública equivalente a 10% das receitas correntes brutas.