Superavit menor

108

Nos primeiros sete meses do ano, o superavit primário do governo central — Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central — é de R$ 38,104 bilhões, 26,7% menor do que o registrado no mesmo período do ano passado. O resultado de julho (R$ 3,722 bilhões) é o menor para o mês desde 2010, quando foram economizados R$ 779 milhões.

Para piorar a situação, a Previdência Social apresentou deficit primário de R$ 3,08 bilhões em julho e, no acumulado do ano, teve resultado negativo de R$ 30,11 bilhões. As contas do BC ficaram negativas em R$ 235,4 milhões. Nos sete primeiros meses do ano, o resultado é deficitário em R$ 548,6 milhões. Apesar dos resultados, a sobra prevista para o governo central na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), de R$ 35 bilhões, foi cumprida com certa folga.

Nos últimos 12 meses até julho, o superavit do governo central é equivalente a 1,6% do Produto Interno Bruto (PIB), ou R$ 74,4 bilhões. A meta até o final do ano é de R$ 73 bilhões. O Tesouro Nacional já informou que, com desonerações de empresas e com o desconto nos investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), chegará a um superavit de 2,3% do PIB neste ano.