Direitos da mulher nas escolas

192

Ari Cunha – Visto, Lido e Ouvido – Ari Cunha

O Conselho de Educação do DF, em parceria com a Secretaria da Mulher, publicou no Diário Oficial do Distrito Federal recomendação em que inclui no currículo obrigatório da educação básica dos ensinos fundamental e médio o tema “Direitos da Mulher e outros assuntos com o recorte de gênero”. A publicação dessa nova diretriz no DODF coincide com o aniversário de sete anos da promulgação da Lei Maria da Penha e com a publicação do relatório final da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito da Violência Contra as Mulheres, do Congresso Nacional. No novo conteúdo curricular vão constar, além do tema direitos da mulher, assuntos como a história cultural afro-brasileira e indígena, direito das crianças, música, arte e educação financeira. O documento assinala que “é válido recorrer ao conceito de gênero, criado para distinguir a dimensão biológica dos sexos feminino e masculino da sua dimensão social, baseando-se no raciocínio de que há machos e fêmeas na espécie humana, no entanto, a maneira de ser homem e de ser mulher é realizada pela cultura”. Na nova recomendação curricular são citados também os artigos 2º, 3º e 5º da Lei Maria da Penha, bem como os artigos da Lei Orgânica do DF que tratam do assunto. Ao reconhecer que a escola acaba reproduzindo a desigualdade vivida entre as pessoas na sociedade, o documento condena o que chama de linguagem sexista dos textos escolares, a invisibilidade das mulheres na ciência, a ideologia patriarcal e o androcentrismo do conhecimento. Tais distorções funcionariam, diz o texto, como elementos da construção da desigualdade de gênero.

A frase que não foi pronunciada:

“A impunidade tolerada pressupõe cumplicidade.”

Marquês de Maricá

Em cima da hora
» Mesma cena de tensão sobre a aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentárias. O governo precisa enviar a proposta ao Congresso até amanhã. No caso de a LDO, que estabelece os parâmetros para o Orçamento do ano seguinte, não ser votada, a equipe econômica usará as previsões contidas na proposta original apresentada em abril.

Breve
» Depois das notícias de violência, as escolas enfrentam a entrada de bebidas alcoólicas. Garotos de 13 anos levam cachaça na mochila e compartilham a bebida com colegas. O problema está se agravando pela falta de autonomia para as escolas tratarem do problema. O máximo que se faz é comunicar aos pais,
que são os que compraram a cachaça. Se o Ministério da Educação não mudar a orientação de deixar os alunos fazerem tudo o que querem, a sociedade vai se deparar com o caos.

Outro lado
» Por falar nisso, espera-se que o novo secretário de Educação, Marcelo Aguiar, tenha mais coragem para enfrentar esse tipo de problema e cumpra as promessas que fizer.

Sobe
» Está nas mãos do senador Renan Calheiros a proposta de R$ 722,90 para o salário mínimo no ano que vem. A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, visitou o Congresso para entregar ao presidente da Casa a peça orçamentária de 2014.

DER
» Pitacos de plástico são adotados pelo DER para impedir ultrapassagens em lugar proibido. A novidade já rendeu algumas batidas. Para desviar do plástico flexível, o motorista, levado pelo susto, ou freia forte ou bate no carro ao lado. O fator surpresa desfavorece. Mas, no futuro, é a solução.

Sujeira
» Está insustentável a situação do lixo nas entrequadras. Ao despejarem os contêineres no caminhão de lixo, o chorume escorre por todos os lados. É preciso uma lavagem nesses locais. A Secretaria de Vigilância Sanitária poderia disponibilizar um canal para a comunicação dos cidadãos que apontarem as localidades.

Solto
» Como não há controle nem limite, os estacionamentos cobertos de shoppings e centros comerciais estão cada vez mais caros. Só o do Conjunto Nacional vale o preço, pela tecnologia e conforto oferecidos.

Letras
» Fabio Trad já chama a Câmara baixa de Cômara dos Deputados. Com “o” mesmo. É que, depois de manter o mandato do deputado Donadon, o peemedebista disse que a casa está em coma.

Uma pena
» No blog de Washington Dourado, do Sindicato dos Professores, a ideia é que Marcelo Aguiar vai manter a Secretaria de Educação morna. Nada de celeumas. Enquanto isso, a criançada continua mandando e passando de ano sem saber ler.

História de Brasília
O Conselho da Novacap aprovou a regularização dos lotes de Taguatinga. Serão assinados os contratos de promessa de compra e venda, cujo titular seja o efetivo ocupante do lote. (Publicado em 27/6/1961)