SRH apresenta calendário de negociação

207

Nesta quinta-feira (15/9), foi realizada mais uma reunião entre o secretário de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Duvanier Paiva, e os representantes das entidades do Ciclo de Gestão e Núcleo Financeiro. O presidente da ASSECOR, Eduardo Rodrigues da Silva, e o vice-presidente, Antonio M. R. Magalhães, participaram dos debates que definiu a agenda de negociação salarial.

Estão previstas reuniões nos dias 25 de outubro e 22 de novembro para avaliações sobre as possibilidades do reajuste, e até março de 2012 haverá um novo encontro para concluir o processo de negociação. Apesar da pressão dos sindicalistas para que seja concedido algum aumento para as carreiras ainda em 2012, tendo em vista a tendência de os servidores do Judiciário terem suas reivindicações atendidas, Paiva foi enfático: “não existe nenhuma possibilidade de reajuste em 2012. Além disso, o Executivo não incluiu recursos no orçamento para o Judiciário”.

O presidente da ASSECOR destacou que apesar de a data limite de 31 de agosto ter sido ultrapassada  existem outras formas de garantir recursos para o reajuste. Além disso, os sindicalistas argumentaram a boa situação econômica nacional e a perspectiva animadora em relação á superação da crise.

“O governo hoje não pode tomar decisão de médio e longo prazo que acarrete aumento da despesa por causa da crise. O compromisso que podemos assumir é um processo de negociação que tem como objetivo o orçamento de 2013”, afirmou Paiva. O vice-presidente da ASSECOR sugeriu que essa negociação tivesse resultado até no máximo 2013, para dessa forma não estender o prazo para o reajuste até o final de 2013.

Modernização

O grupo de sindicalistas cobrou uma posição do secretário em relação ao não encaminhamento do projeto de lei que garantiria a modernização da carreira. O secretário afirmou que ainda não debateu a questão com a ministra do Planejamento, mas se comprometeu em trabalhar para permitir que o consenso sobre a proposta seja concretizado. “O Governo vai discutir e o esforço da nossa parte é superar a divergência”, avaliou Paiva.


Camila Jungles, assessora de comunicação da ASSECOR.